Você lembra em quem votou para deputado estadual? E federal? Ou para senador? Segundo pesquisa da empresa Ideia Big Data, divulgada pela revista Exame no início de 2018, 79% dos eleitores do país não se lembram nos candidatos em que votaram para o Congresso Nacional em 2014. Dos 21% que recordam, apenas 15% acompanham o desempenho dos parlamentares que ajudaram a eleger. Pode até parecer um contrassenso, já que o engajamento político tem crescido no país. Afinal, a política é imprescindível para a sociedade, o exercício da cidadania é uma responsabilidade fundamental para o desenvolvimento de qualquer país. Contudo, nenhuma classe está mais desacreditada que a dos políticos. E com razão, já que nos últimos tempos estão sobressaindo as práticas negativas, a corrupção e os interesses privados.


Confunde-se “ser político” como profissão e estão esquecendo que “estar político” é representar o povo.

Temos que utilizar este momento em que há mais transparência para fazer as mudanças necessárias. Aproveitar a oportunidade de buscar informações, analisar as propostas daqueles que serão candidatos em 2018 e, sobretudo, conhecê-los, questionar sobre o que já fizeram e qual o compromisso com a população. Desconectar as “promessas vazias” e preencher com fatos concretos, ações, valorizando aos pautas de interesse coletivo. Assumir o papel de cidadão consciente e responsável pela sua cidade, pelo seu Estado e pelo seu país. Este interesse não deve ser fomentado somente no período eleitoral.

A participação na política vai além do voto, é necessário que esta pauta esteja presente na agenda diária da sociedade, que as análises sobre o trabalho de cada político eleito seja constante, que haja um diálogo aberto e de aproximação entre os representantes e o povo. Nos dias atuais, esta proximidade é estimulada pelas redes sociais, por exemplo. Transparência não deve ser diferencial, e sim, requisito básico para qualquer postulante a cargo eletivo, assim como honestidade, ética e trabalho. Somente assim, com a união de esforços, estaremos no rumo certo para construir a sociedade mais justa e igualitária. Carlos Chiodini, deputado estadual