No último domingo de abril, o jornal Folha de S. Paulo registrou, na capa, que o “Espírito empreendedor e diversidade econômica impulsionam Santa Catarina”. A reportagem apresentou índices positivos que mostram o porquê o Estado é diferenciado. Lideramos vários indicadores econômicos e sociais: a menor desigualdade do país no Índice de Gini (0,41); a maior expectativa de vida (79,1 anos); a menor taxa de desemprego (6,3%). Temos posição de destaque no cenário econômico nacional em diversos setores, tanto na agroindústria, com a produção de suínos, pescados, ostras, mexilhões, maçã e cebola, como na indústria, valorizada pelo equilíbrio e desenvolvimento de vocações locais.

Outro destaque deste mês foi para Jaraguá do Sul, desta vez, em reportagem exibida no programa Fantástico, da rede Globo. Em 2017, a cidade recebeu o título de mais tranquila do Brasil, com a menor taxa de homicídios (3,1 para cada 100 mil habitantes), de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Além de ser exemplo em segurança, a reportagem evidenciou a qualidade da educação, da saúde pública, a valorização da cultura, a infraestrutura e saneamento de Jaraguá do Sul.

Afinal, qual o diferencial de Santa Catarina? A resposta é simples: o catarinense. É o espírito empreendedor e inovador, a garra, o profissionalismo que faz com que nosso povo seja reconhecido nacionalmente, por vezes até, internacionalmente. Catarinense é sinônimo de trabalho, de superação, de planejamento e de ação.

Embora tenhamos ótimos índices, ainda temos muito trabalho pela frente. Tivemos avanços importantes, contudo ainda nos deparamos com muitas desigualdades em diversas regiões. Podemos estar no topo comparando com outros Estados brasileiros, entretanto, queremos ir além. Não podemos nos acomodar. Precisamos, sobretudo, que o nosso Estado tenha excelentes indicadores que reflitam diretamente na qualidade de vida em todos os segmentos. Precisamos que o nosso verdadeiro diferencial – o catarinense – possa ter ainda mais orgulho e tenha a Santa Catarina que merece.

Carlos Chiodini, deputado estadual